*

Vou seguindo, fazendo pausas, deixando a poesia me guiar, algumas compartilho por aqui.
Todas fotografias deste blog foram feitas por mim.
............................................................................................................................

14/03/2015

É tempo



Dunas em Fortaleza, caminho do Beach Park.
Fotografia: Marli Reis

*

É tempo

Apresse o descompasso,
assim pode passar rápido
esse tempo de jamais.
Fique aí sentado
na esquina,
ninguém vai te ouvir,
o teu lugar
é aqui perto,
nesse céu claro
de braços, cortinas
cintilantes.
De onde vem esse jeito
sem nome?
Sujeito cheiroso...
Devagar no fio
cortante!
Vem, desce desse lugar
e pisa no chão,
aqui é seguro,
as serpentes
adormeceram.
Fique quieto
que meu coração
é o teu despertar.

*

12/03/2015

Planos



Fotografia: Marli Reis

*

Andava de um lado a outro
da estrada
com flores
para o meu bem,
andava perto do lago
de águas silenciosas,
um beija-flor se atirou
precipitado no jasmim.

O céu era azul do meio-dia,
a minha alma era dourada
pelas tintas da tua companhia
e do teu céu,
e contemplar os olhos
das estrelas no lago azul
era o cântico da anunciação.

*

05/03/2015

O retrato




Fotografia: Marli Reis

***

O retrato

Por enquanto
lanço o olhar
na direção certa,
apontada para 
o eterno.
Nesse canto,
há cantigas
de ninar,
de doce silêncio,
de gestos nobres,
de alegria inocente.
Naquele lado,
o verde das folhas
encanta e canta
a música
da chuva
que pinga
interminável
para abundância
de formas,
de frutos,
de descobertas,
quase sem entrar
em tua sala
ampla
de cobre.
E na parede
o aviso
igualmente encantado:
hoje é dia
de amar.
*

04/03/2015

Na rua





Natal/Rio Grande do Norte
Fotografia: Marli Reis

***

Na rua


Essa dança
não envolve
teus passos
largos
por outras
estradas.

Nem sei se
o que guardas
tem algum valor,
pois se não tem
repensas!!
Estou com sono e
vou dormir.

Amanhã vejo
as roupas 
que te apertam 
os pés.

***

Em par


Fotografia: Marli Reis

***

Em par

Esta história de amor 
começa onde os enigmas
terminam,
onde as plantas dormem,
onde os ninhos nascem,
onde a casca rompe,
onde os frutos caem.

Já chegada a hora
de subir os morros,
de correr na relva,
de dançar na chuva,
de colher as flores,
ver crescer o trigo
e se transformar 
em pão.
Depois um jantar
na tua mesa,
depois um agrado
para teu bem.

***

01/03/2015

Maduro

*


Meu piano calado, fotografia: Marli Reis

***

Maduro


Artista bonito
o trem já 
passou...
Corre, que andar faz bem!
Menino de ontem,
nem viu o navio
parado no porto
aguardando a maré
baixar...
Homem noturno,
cresceu novamente,
lançou o olhar
do alto da montanha
para o peixe
fora do aquário,
livre...
Nem se quebrou
o jarro de barro,
é forte,
feito de outra substância
invisível aos olhos
do sentido comum.
Não é esse caso,
nem precisa
 ser...
Segue, encontra aqui
as uvas do pomar,
as jóias raras e caras
do coração,
com razão,
com perdão e bênçãos
para a vida toda.
O colar tem gosto doce,
corre mel nessa vida,
de abelha rainha,
de sono desfeito,
num dia que já é
o melhor.
O tempo vai dizer
se a certeza que tenho
é só pensar em você.

***