Seguidores

Pesquisar este blog

Google+ Followers

Translate

27/06/2017

Ausência



Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.
Carlos Drumond

23/06/2017

Cajarana


A flor do mamão. Fotografia: Marli Reis


***


Cajarana

*

Livrai-nos de toda ausência
desse senso de equilíbrio
na corda bamba
dos percalços.
Livrai-nos da luz apagada
em solidão de espera.
Livrai-nos do perigo dos abismos
que se abrem
 no inesperado da hora.
Vigia nosso sono 
enquanto o dia não vem.
Acorda o sonho medroso
dos muros altos,
dos galhos secos,
dos rios escassos,
das águas barrentas,
da sede do meio dia. 
Balança esse balanço
de cordas amarradas
no pé de cajarana.
Mas balança devagar
para a brisa passar de mansinho
no suor do rosto,
no calor das mãos.
Não saia daí,
o amanhã não vem,
o tempo parou
no amarelo do sol
cantador de músicas
de ninar.


23/06/2017

15/06/2017

Uma vez


Fotografia: Marli Reis


***


Uma vez

*

Descendo a escada
a visão é estreita,
os cuidados são necessários
como necessário é o movimento
do corpo consciente de tudo
ao redor.
Subindo a escada, 
o imponderável e inusitado
pode acontecer.
Ondas ruidosas de pensamentos
 em alerta
a ensinar sobre a vida
e tudo que ela alcança.
Para que serve a escada
diante dos galhos fortes
das árvores
 repletas de frutos
doces e convidativos?
Depois tem o silêncio 
da ventania...
Tem o balanço 
das folhas a cantar...
Tem os ninhos 
dos pássaros
 revelando a vida...
Que mais história a contar
 na silenciosa
 vastidão da relva?
Parem o trem,
 o passageiro vai ficar!

*

15/06/2017

13/06/2017

Bolinha de sabão

Festa de fim de ano - Praia do Futuro/ Fortaleza-CE

***

Bolinha de sabão

*

Tanto azul entre o céu e o mar!
Alegria solta
brincando de ser.
Suavidade de bolinha de sabão
que pipocou!
Lá longe!
Lá no céu!
Solta balão teu azul celeste!
Brinca, que brincar é caminho sem fim!
Doce tarde de gente passando
em ondas de risos.
Nem se escuta o mar
espumante...
Sol, o tempo que o tempo tem.
Música e ânimo para o ano que vem.
Chegou logo esse tempo
 de lembrar no futuro
de tantos bens!

***

Homenagem a querida amiga Luciane CP


13/06/2017

12/06/2017

Dorme a noite

Trabalho de Feltragem, por Marli Reis


***

Dorme a noite

*
Diante da parede encoberta de azul,
o teu olhar silencioso e quieto
aguarda a chegada do alvorecer.
Não carrega o laço desfeito
 das madrugadas.
Sinaliza o crepúsculo da alma, 
em alegria de chegada.
Sofre não, já que o sofrimento tornou inútil
 o futuro.
Alivia a carga, 
descansa um pouco. 
Vem, que a noite acalma!
Escuta esse coração tão ritmado
só pela possibilidade
de sonhar.


***


12/06/2017

09/06/2017

O despertar

Amanhecer em Fortaleza/CE (do outro lado tem o mar)
Fotografia: Marli Reis


***

O despertar

Em meio aos desencontros na capital,
uma convergência sem fim
acontece sem paradas obrigatórias.
O movimento ascendente permanece,
 inevitável e dinâmico.
Como descuidar das buzinas?
Como evitar os gritos dos pulmões
fortes e vigorosos
da sensatez?
Não se pode dormir
diante das sombras que se erguem 
com asas sem cor.
Parece lama o reflexo na água.
Parece, apenas, sem nunca ter sido.

***
    09/06/2017