*

Vou seguindo, fazendo pausas, deixando a poesia me guiar, algumas compartilho por aqui.
Todas fotografias deste blog foram feitas por mim.
............................................................................................................................

20/12/2009

Sinos


Em minha janela
Foto: MR
*

Sinos


Seria assim,
sem mais,
sem menos.

Suor no meio dia,
sonolência no fim
da tarde.

O sol não vem amanhã.
Sem ele some

o tom sério

e no lugar,
a cisma, o silêncio.

Pronto. A chave
cabe por baixo

da porta,

não precisa esperar.

Sinos, sinos, sinos...


***


05/12/2009

No Alto


" Espetáculo na Janela"
Foto: MR

*

No Alto


Sim, agora chegou
o instante da transformação.
O comum, em especial.
As paredes não mais
servem de divisão.
As visões partem
em mão dupla,
tudo que vem de lá
encontra ressonância
por aqui
e o encontro acontece.

Tece as teias
da sabedoria corajosa
dos mergulhos
no oceano de amor.

As amizades reveladas
nos olhos alegres
de tanta cor,
e verde,
e azul,
e céu!

(Em 03 de setembro de 2009)


*


Sábado

Observo significados, movimento em meu coração sentimentos, aprendo com o espetáculo dos pássaros que chegam nesta manhã de sol por aqui e pousam na janela da cozinha com seus olhinhos cuidadosos em alegria pela sementes dispostas para o agrado dos seus bicos pontudos. Abrem bem as asas no pouso, protegem aquele momento. Só vendo... Depois voam...

***

15/11/2009

Sem pressa

( Na Praça Cristo Rei, Crato/CE )
Foto: MR

*

Sem pressa


Fogo alto,
brasas pelo chão,
nenhuma chuva fina
diminui a certeza...
É festa,
é contentamento!
Palmas,
pés,
olhos que brilham
no escuro
quando ninguém mais
pode ver.
Silêncio que cala
e faz adormecer.
Sim, o eterno
efeito de equilibrar
mesmo diante
de tanta imensidão...
É o que pode,
é o que é,
vindo devagar...

(em 21/09/2009)

*


Domingo

Vivi uma emoção doce ao lado de pessoas que amam... Aguardei o portão fechar... Só então fomos embora, ficamos calados, mas eu podia imaginar alguns pensamentos diante de tantos olhos esperançosos... Diante daquele portão que separava realidades, cuidados, certezas, e amores inseparáveis... Dia todo falando, pensando, rindo, respirando "vestibular", amores separados pelo portão de entrada daquele prédio que guardava o futuro. Eu estava do lado de fora - apoiada numa sombra e numa réstia de sol - a observar e celebrar o mesmo sentimento. Sentimento conectado pelo abraço, "boa prova!", e o acolhimento de todas as horas do dia!

***

30/10/2009

Poesia, a vida oferece.


Crato/CE
Foto: MR



Queria dizer algo dessa imagem, mas a lembrança ocupa o espaço das palavras que poderiam refletir a experiência. Então, passo deixando por aqui um momento vivido desse entardecer sem pressa...


***

08/10/2009

Contido

Foto e produção: MR

*

Vi na diversidade
o que unifica.

Vi no que sei
o que plenifica.

Vi os passos extensos
no compasso da
existência
sem confusão.

E ainda vejo
o eco da essência
querendo emergir.

Ser berço,
ser o possível,
ser a aquisição
de todas as pérolas
no colar
do eterno
adornando
o coração do
meu bem,
pensante,
pulsante,
ativo
no exercício
da espera
de compreender
de mais amar.


***


Quinta-feira

Tenho ouvido e lido que o universo conspira a favor de quem tem sonhos, metas, aspirações, foco, planejamento, direção na vida, mas, principalmente, se isso é permeado de um fiel sentimento na prática do bem. Se tantos falam a respeito, algo de verdade prevalece no senso comum. Então, só constatando de maneira individual para entrar em concordância. Se afeta positivamente, só por isso, já vale a pena a tentativa em confirmar.

*

(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)

25/09/2009

Além

Foto: MR

*

Tantas descobertas
para te agradar!
Tantos doces
para te agradar!

E agradar mais
do que juntar
agrados na mesa.

Do imaginário coração
envolver teu olhar
com o possível
diante de tudo
que vem do alto,
da solidez dos muros
e das catedrais,
que conduzem
ao céu.



***



Sexta-feira

Depois de dias seguidos dentro dos ritmos: noite/dia, acorda/dorme, todos com horários estabelecidos para cada tarefa, a sexta-feira chega e traz uma parada para leitura sem hora para terminar, mas não deixa esquecer a obediência aos ritmos do dia. Assim fica melhor o sábado. Na sala, o silêncio; na rua, carros apressados, buzinas, festas, gente cantando, comemorando, alegria no ar... Outras festas... Porque mesmo no silêncio encontro festa.

*

(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)

30/08/2009

Equivalente


Praia do Futuro/Ce
Foto: MR


O que importa
ao redor de mim
para o bem
que almejo encontrar?

Sirvo-me dos elementos
naturais nos ângulos
envolvidos da tua história
para completar a minha.

Nessa dança suave
delirar com os encantos
do teu jardim:
flores, frutos, terra,
e as cores do teu
abandono
espalhadas
por entre as marcas
dos teus pés,
tua pele
que toca a terra,
a grama,
o orvalho
no reflexo
da tua prisão
que não esconde
a tua liberdade.

Vem agora, sobe
as escadas flutuantes
do destino,
onde é o teu lugar!



***


Domingo

Caminhar cedo na praia, sentir a areia morna e as águas do mar em ondas... Isso e mais, contato com jóias do conhecimento - pessoas alegres-cantantes-sábias, parada para meditar, depois ouvir doce voz a ensinar como quebrar obstáculos e a importância disso para quem quer avançar na arte de conduzir os próprios pensamentos. Aprendiz é meu estado contínuo.

*

(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)

20/08/2009

Espaço Ocupado

Via Costeira, Natal/RN
Foto: Marli Reis


*

Sementes guardam
o que virá depois,
igual essência
encontro ao lado...

Sementes no coração
desavisado e sedento.

Sementes guardadas
de um só lugar.

Dia de todos,
menos de um.




(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
*

04/08/2009

Poesia, a vida oferece



_________Fotos: Marli Reis
*
*
*
Nascer do sol em Fortaleza. Um início de dia muito calmo, uma brisa suave balançava as folhas das árvores ao redor. Antes mesmo do sol aparecer eu já estava observando esses movimentos da natureza, apenas estava ali em silêncio, mas este amanhecer foi diferenciado justamente por essas imagens que pude registrar e agora compartilhar nesse blog com aqueles que um dia passarem por aqui, por esta postagem.


(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
*

03/08/2009

Lembrança

*
Ternura antiga,
tão desejada
na tua janela!
Guardada
como se guarda
um anel
do mais fino amor.

Parece que foi ontem
teus braços em aceno,
tuas mãos ao longe...

Era suave a partida
e a chegada...
Todo o teu amor
acompanhando essa saudade...



(Marli Reis, Espirais Imagéticas,2009)
*

02/08/2009

Intensidade

*
Cada dia o seu encanto.
O despertar na suave
melodia dos pássaros.
Repousar os olhos
na varanda florida.

Andar devagar
por entre as asas
do imaginário sonho
colorido de borboletas,
de casulos em festa.

Cada dia o seu encanto.
E são tantos
que não me importo
se ficam tontos
por dois ou três
dias ao acaso!
Será obra do acaso
esse destino?



(Marli Reis, Espirais Imagéticas,2009)
*

01/08/2009

Dádiva

*

Encantam os teus olhos.
Tons, formas e pirâmides
nas alturas da imaginação.
Já é sem esferas dialéticas
o descompasso do teu coração.
Repente, serenata, violinos
ao longe em teu ouvido.

As plumas deslizam suaves
por sobre o rio.

Vem doce delírio!
Tua presença
é como o sol
que aquece minha pele,
que se contenta
com os teus presentes.



(Marli Reis, Espirais Imagéticas,2009)
*

30/07/2009

Algumas breves considerações: poesia refletida.

(Foto - tirada por mim - de um pombinho limpando suas penas depois da chuva fina que caia naquela manhã de domingo em São Paulo, 12/07/2009)

Gosto demais desta foto! Havia chovido logo ao amanhecer, o sol começava a aquecer aquele despertar friorento. Preparei-me com disposição para um passeio em grupo, peguei o metrô na Estação Paraíso – São Paulo – em direção a Estação São Bento.

Acredito ser muito animador poder encontrar poesia em gestos simples e situações de igual simplicidade que, entretanto, transparecem mais do que a visão do reflexo do objeto pode alcançar. No contexto dessa imagem havia muita gente alegre, outras sérias, em silêncio. Estávamos em frente ao Mosteiro de São Bento. Eu participava de um grupo desejoso de ver as belezas artísticas do Mosteiro, e pudemos constatar que a beleza se repetia em cada olhar.



(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
*

26/07/2009

Um olhar

*
Tinha um coração
para amar
sem pedir
igual sentimento.

Tinha uma saudade
para consolar
sem macular
o silêncio.

Nessa certeza
embalar o pensamento
na rede branca
da paixão.

E gastar nesse balanço
o orvalho retirado
da pele macia...
Tão macia,
linda flor
do algodão!

E o tempo
que tudo transforma
fez nascer
dessa saudade
um coração
conjugado
no presente
e no futuro
por simples vontade.


(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
*

14/07/2009

Gênero


Em Natal/RN - Foto: MR


Embalar...
Balanço devagar
na rede
que é para não acordar.
Sono solto...
Sonho bom...
Deitar na hesitação
dos segundos
em mãos
macias
entre luzes apagadas
e chuva noturna,
no meio da transição.
Dia, claridade benfazeja!
Noite, escuridão necessária!
Sem devaneios,
sem atalhos,
só amplitude
no olhar...




(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
***

20/06/2009

Pequena Porção

"Contraste do azul", III.


Desvarios, tormentas
inconcebidas.
Imaculados arrepios
devastando os hemisférios
cintilantes da alma.
Onde está filho meu?
Tua doçura se escondeu.
Esfacelou o pingo
da inocente ternura
arcaica, voraz.
Piedosa, sem ridículos.
Congestão dos subúrbios
em águas cristalinas
da amizade
sem fronteira.
E o corpo leve,
a alma leve,
a percepção leve...


***


08/06/2009

Tempo

"Contraste do azul"(parte II), Fortaleza/Ce


Despido de sombras,

restando a claridade

que tange,

que solta,

que alegra

e faz escolhas

baseadas no certo,

que rodeia o paraíso,

diviniza o amor

e com ele, oh,

essa doçura dos olhos,

esse sabor de ternura

solta, tangida, alegre!

Não há tapetes

para guardar o pó,

só a insistente

tentativa

de amanhecer

de novo,

de novo,

na alma.





(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)
***

28/05/2009

Condensação

"Contraste do azul".
Foto: Marli Reis


Matéria - e o intangível -

no fluido a girar...

Planeta colorido,

perfumado e variado...

Sensações uniformes,

distinções diurnas,

variações noturnas,

todos em fila...

Cerimônia de classe,

imperatriz dos sentidos,

calor e suor,

chuva de além-mar,

sol depois dos oceanos,

trégua no teatro...

O ator parou,

as cortinas caladas

guardaram o amor.




(Marli Reis, Espirais Imagéticas, 2009)

***

17/05/2009

Superfície

"Pétalas Perfumadas".................Foto: MR


Esferas cósmicas

na amplidão,

luzes cintilantes

na areia,

reflexos reluzentes

nos cabelos...

Fios brancos

dourados

de tempo

contado em dias,

o que importa?

A janela por onde

O olhar se mistura

na formatura

calculada,

geratriz de passagem

transitória do dia

em noite e claridade,

permaneceu aberta.

O sono chega leve.

Lá fora chuva,

canto e brisa

pra essa noite

sem você.


***